quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Quases




Tecia versos inventados
Com o tempo
Fardos de si mesma

Chove no papel
Uma poesia fresca
Balsama esquecimento

E se é saudade
Quem saberia dizer
Tempo e eu metade

Essa lágrima calada
Unge                                        Alma
Poesia                                                Corpo
                                                                     Papel

A ponta do dedo colhe
Uma gota de orvalho da alma em madrugadas
Na ponta do dedo notas
Perfume poetiza...

Nenhum comentário:

Postar um comentário