sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Autopoeticografia



Autopoeticografia

A mulher é um ser sonhador.
Sonha tão abnegadamente
que chega a crer que é amor
o amor que deveras sente.

E os que leem esse amor poetizado
nos versos cândidos se sentem bem,
não nesse sentir da poetisa-iludida
mas no sentir-vida que eles não tem.

E assim pelas pedras no caminho
tropeça, levanta e torna a tropeçar
essa mulher que sonha e chora
nesse vazio que teima em Amar.



Uma releitura de “Autopsicografia”, de Fernando Pessoa, com uma salpicada poética de “No meio do caminho”, de Carlos Drummond.


Nenhum comentário:

Postar um comentário